01

MISSÃO

Vamos Incentivar a Ciência Meteorítica! 

Através de imagens incríveis, obtidas através das lentes e dos detectores dos microscópios, a grande missão de todo o trabalho aqui divulgado é expor o quanto a ciência meteorítica é linda e extremamente fascinante. 
 

O objetivo é estimular o interesse por esta ciência que estuda esses objetos vindos de milhares de quilômetros de distância do espaço, onde a maioria data a formação do nosso Sistema Solar de 4.56 bilhões de anos, objetos que representam o núcleo do que, provavelmente, já foi um planeta, ou àqueles que se desprenderam do seu corpo planetário devido à impactos na sua superfície, como Marte, Lua e o asteroide Vesta, e viajaram até encontrar o nosso planeta e serem recuperados. 
 

São muitas histórias que esses objetos tem pra nos contar a respeito de onde viemos, como surgimos....afinal...como tudo começou? Eles são mensageiros de informações que chegam até nós e não ao contrário,  como as sondas enviadas pelas agências espaciais., que vão em busca dessas respostas. 
 

A divulgação científica sobre os meteoritos envolve, acima de tudo, materiais didáticos de fácil e livre acesso, para que se perpetue as  informações necessárias para que a ciência continue cada vez mais evoluindo!
 

Sendo assim...o Analytical Images of Meteorites, visando contribuir com a ciência meteorítica do Brasil e do mundo, aqui divulga suas imagens analíticas e publicações de nossa autoria, assim como de parceiros, que aceitaram fazer parte desta missão! 

 
 
02

LABORATÓRIO

O LABSONDA UFRJ

O LABSONDA é um laboratório multiusuário de Microscopia Eletrônica e Microanálise localizado no Instituto de Geociências (Departamento de Geologia) da Universidade Federal do Rio de Janeiro – LABSONDA/IGEO/UFRJ. É responsável por atender alunos de graduação, pós-graduação e pesquisadores de áreas do conhecimento como a geologia e mais recentemente a astronomia, com análises e trabalho de classificação dos meteoritos. O coordenador do LABSONDA é o professor titular Julio Cezar Mendes e administrado pelas químicas Amanda Araujo Tosi e Iara Déniz Ornellas.

O laboratório dispõe de uma Microssonda Eletrônica JEOL modelo JXA8230, no qual desenvolve as análises químicas semi-quantitativas por EDS (Energy Dispersive Spectroscopy), quantitativas por WDS (Wavelength Dispersive Spectroscopy) e obtém imagens eletrônicas como SEI (Secundary Electron Image), BSE (Back-Scattered Electron), Mapas Composicionais por WDS, possuindo também uma Catodoluminescência pancromática acoplada, gerando imagens com os sinais luminescentes emitidos por certos minerais.

Além do Microscópio Eletrônico, o laboratório dispõe de Lupas e Microscópios Óticos para dar suporte aos estudos, principalmente de rochas terrestres e dos meteoritos recentemente encontrados, tanto brasileiros como também do exterior.

Em parceria com outros laboratórios, como o Laboratório Multiusuário de Caracterização Tecnológica (LMCT) do Centro de Tecnologia Mineral (CETEM) e o Laboratório Multi Usuário de Meio Ambiente e Materiais (Multilab) da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ), complementamos as análises necessárias para estudar os meteoritos, utilizando as técnicas de Catodoluminescência em Microscópio Ótico (CL-OM), Difração de Raios X (DRX), Espectroscopia Raman, entre outros.

03

PELO MUNDO

Vamos Caçar Meteoritos? 

A ciência na maioria das vezes se faz dentro de laboratórios, mas nem sempre podemos ficar restritos a este espaço. O contato com pessoas e com o mundo é o que nos faz enxergar a beleza de trocar ideias, informações e assim aprimorar o que nós mesmos achávamos que já sabíamos.

Humanizar a ciência, mesmo que digamos que ela é exata, é trazer para perto as pessoas que tenham o mesmo interesse e paixões como a nossa. É não nos deixar dominar apenas pela facilidade das tecnologias e deixar detalhes importantes, palpáveis à mão e à observação, passarem despercebidos. Isso é como formar um astrônomo que nunca olhou para o alto em noite de céu estrelado.

A ciência meteorítica nos permite não só fazer a ciência dentro de centros de pesquisa, como também nos permite conhecer pessoas incríveis e nos aventurar pelos campos em busca de meteoritos. A cada procura, uma cidade diferente, cultura e povos diferentes, mas de maneira impressionante, todas as pessoas possuem algo tão especial, que deixam saudades quando vamos embora.

Assim, a paixão pelos meteoritos pode levar qualquer um, com um mínimo de espírito aventureiro, a desbravar os campos brasileiros, ou quem sabe, campos em outras partes do mundo. Com isso, não só fazemos a caça aos meteoritos, mas levamos conhecimento, informação e o interesse para toda uma comunidade. Desta forma nós divulgamos a ciência!!!!

 
 
04

PARCEIRIAS

Um interesse em comum:

O fascínio pelos meteoritos!

A ciência se constrói com o trabalho coletivo, onde cada pesquisador dá a sua contribuição para a construção do saber e o desenvolvimento de novas descobertas, tecnologias e parâmetros para o método científico.

Seguindo este mesmo pensamento, o nosso trabalho de pesquisa conta com a parceria de vários pesquisadores, sejam eles professores ou alunos de diversas áreas do conhecimento, tais como: astronomia, química, física, geologia, história da ciência e outras áreas afins.

O mais importante para fazermos parceria em nossos trabalhos é ter a paixão pela ciência e o fascínio pelos meteoritos, ingredientes esses impossíveis de não serem encontrados quando trabalhamos com o que gostamos e o que nos gera a curiosidade e admiração.

O trabalho em equipe é importantíssimo para mantermos a qualidade e a interdisciplinaridade da pesquisa. Visando isso, nosso time é de fato muito plural, competente e acima de tudo, amantes dos meteoritos.

ENTRE EM CONTATO

whatsapp

+55 (21) 98899-7596

© 2019 Aimeteorites.