RIO DO PIRES

Rochoso

TIPO:

CLASSE:

CLAN:

GRUPO:

SUB-GRUPO:

TIPO PET.:

EST. CHOQUE:

INTERPERISMO:

PAÍS:

ANO:

DESCRIÇÃO:

CONDRITO

ORDINÁRIO

H-L-LL

L

6

S6

BRASIL - BA

1991

Com base na textura e composição, trata-se de um condrito ordinário do tipo L6, estágio de choque S6.

PETROGRAFIA:

Exibe crosta de fusão negra bem preservada e sinais de que foi descoberto logo pós a sua queda. Apresenta textura condrítica com alguns côndrulos definidos em relação a matriz. Os côndrulos variam de arredondados a alongados, fibrosos e radiados a quebrados e fragmentados variando de 0.3 a 5mm de diâmetro com muita pouca matriz. Mineralogicamente consiste de olivina, piroxênio (bronzina), kamacita-taenita e menores quantidades de troilita e plagiocásio (maskelinita). A matriz consiste de fragmentos de côndrulos. Fonte: meteorito.com.br.

GEOQUÍMICA:

Olivina Fa25.2, piroxênio Fs21.6. Contém veios de choque e maskelinita.

CLASSIFICAÇÃO:

Com base na textura e composição, trata-se de um condrito ordinário do tipo L6, estágio de choque S6.

CLASSIFICADORES:

Adrian Brearley, Institute of Meteoritics, University of New Mexico, Albuquerque

HISTÓRIA:

Um único fragmento do meteorito, com uma massa de 118g e coberta por uma crosta negra fusão, foi encontrado pelo professor H. Shigame da Universidade Federal da Bahia, em uma viagem de campo perto da cidade de Rio do Pires. Em seguida, foi doado ao Sr. W. Carvalho, que trocaram uma fatia (12g) com o Museu Nacional / UFRJ. Descrição obtida nos documentos de M. E. Zucolotto.

Todas as informações que não possuírem fonte especifica, foram extraídas do Meteoritical Bulletin Database.

Todas as imagens possuem direitos autorais.

ENTRE EM CONTATO

whatsapp

+55 (21) 98899-7596

© 2019 Aimeteorites.